Feeds:
Posts
Comentários

Começou como o ‘bom rapaz’ dos tempos da Jovem Guarda e, depois, galgou o Olimpo da música brega ao lado de gênios como Odair José e Waldick Soriano.

Seu legado é tão incontestável que faz até os mais apaixonados amantes das baladas românticas e trágicas com excesso de dor-de-cotovelo concordarem pelo menos em um ponto: o único Wanderley que deveria se tornar imortal é o Cardoso.

Apesar das lágrimas já terem começado a rolar com a lembrança deste baluarte do cancioneiro nacional, o assunto do dia é um outro Wanderley. Esse sim se julga imortal.

Nascido no Rio de Janeiro, glorificado em São Paulo e, atualmente, radicado em Belo Horizonte, após anos e anos vivendo só de gogó, Wanderley Luxemburgo tem a chance de ainda provar que serve para alguma coisa.

Teve muitos méritos no passado, é verdade, É um treinador acima da média, admito. Foi fundamental para fazer o Palmeiras sair da fila em 93, para o Corinthians voltar a ser campeão brasileiro e para o Cruzeiro conquistar seu primeiro título nacional.

Pena que o bestial tornou-se a besta por julgar-se genial demais, por se achar importante demais – mais até que os grandes craques do desporto bretão – e, principalmente, por estar mais preocupado em mandar em tudo do que em preparar um time de futebol. Isso para não mencionar o excesso de interesse em lucrar com a compra e venda de jogadores.

Dizem que, com o Atlético Mineiro, em 2010 Luxa voltou a ser o mesmo de antes, mais focado no trabalho dentro das quatro linhas e, com isso, obtendo resultados efetivos em campo.  Só não perde a mania (do excesso) de grandeza, chegando até mesmo a se comparar à José Mourinho quando disse “Ele fez o que eu faria”, referindo-se à tática perfeita com que a aplicada Internazionale eliminou o aclamado Barcelona da Champions League.

Tudo bem que o Santos não é um Barça, mas o Atlético está longe de ter a consistência da Inter de Milão.  E o principal: embora o próprio tenha certeza de que é bem melhor que o colega português e repita diariamente a si mesmo diante do espelho, Wanderley não é Mourinho.

Por isso acredito que, sim, Wanderley, como cantaram os atletas santistas na comemoração do Paulistão, nesta quarta-feira a sua hora vai chegar. Não adianta nem transformar essa brincadeira da molecada em declaração de guerra, porque não vai colar

E não se espantem se, após o Santos x Atlético-MG de amanhã, o mesmo Neymar que esquentou o banco comandado por Luxa em 2009 tome para si os versos de Wanderley Cardoso e cante Adeus, ingrata! para o antigo ‘professor’.

(Clique, ouça e cante o eterno sucesso de Wanderley Cardoso)

Anúncios

Como diria Roberto Avallone, vírgula, o jornalista, vem aí mais uma notícia bombástica, dois pontos: Neymar estará presente na Copa do Mundo na África do Sul, exclamação!

Tudo isso porque, ao contrário de muitos jovens craques que surgem aos borbotões pelos cada vez mais raros campos de várzea do meu Brasil varonil, em vez de se intimidar com a truculência adversária, o mais novo prodígio e candidato a Rei da Vila Belmiro não apenas agüenta o tranco como, também, sabe dar o troco. E deu mostras disso no ultimo domingo.

Durante a primeira partida da decisão do Campeonato Paulista entre Santos e Santo André, Neymar definitivamente se cansou das botinadas da zagueirada andreense e, ao melhor estilo Perninha do saudoso Gigantes do Ringue, resolveu apelar e contra-atacou com um dedo no olho.

Ainda que internado no departamento oftalmológico do Albert Einstein com uma lesão na íris, o fato de Neymar ter demonstrado um resquício de descendência lusitana com sua corajosa atitude animou o treinador Carlos Queiróz, que garante: “Se o Dunga não levaire o gajo ao Mundial, eis que convocarei o pimpolho para o selecionado de Portugal”.

Fica a pergunta: o que teria acontecido se, em vez do dedo no olho, Neymar resolvesse “revidar” com um chute no saco?

(Assista os vídeos com os lances que deram origem ao post)

Veja também o blog do Perninha (existe mesmo!)

Hoje é sexta-feira. Isso significa que amanhã é sábado, certo? Quase…

Uma sexta-feira como a de hoje significa também a ressaca da agitada rodada de meio de semana no futebol brasileiro e, quiçá, do desporto bretão em terras européias.

Na terça, Lionel ‘La Pulga’ Messi fez jus ao apelido e ficou escondidinho na pelugem da cachorrada da cabeça-de-área milanesa na achapante derrota do Barça para a Internazionale por 3×1 e vai ter que fazer o rival italiano se coçar muito para buscar a classificação para a decisão da Champions League.

No dia seguinte, Van Gaal teve mais um dia de vagal ao substituir Robben logo após marcar o único gol da partida contra o Lyon e ser o único capaz de aumentar o marcador na magra vitória do Bayern na partida de ida da outra semifinal do principal torneio europeu.

Ainda na quarta, a cariocada teve motivos de sobra pra soltar a interjeição politicamente correta “Caraca, maluco!”. Porque o próprio Caracas deu mais trabalho do que era possível imaginar, principalmente após o gol de empate do venezuelano Gomes. E o time visitante só não venceu a partida em pleno Maraca porque o goleiro do escrete da terra de Hugo Chávez teve uma atuação digna de Quico.

Mais tarde, também pela Libertadores, o São Paulo quase tomou um caldo com uma bola na trave no final do segundo tempo, mas acabou batendo o Once Caldas por 1×0 e ficando em primeiro do grupo.

Já na Copa do Brasil, enquanto o Santos descansava contra o Guarani em Campinas, o insuflado palestrinha lutava na Arena da Baixada. Tanto é que, após a classificação em cima do Atlético Paranaense, o Palmeiras deu mostras de que poderia ser considerado, de novo, um time de respeito. Porém, uma olhadinha no site do Avanti Palestra com aquela foto do minicraque do Los Hermanos abraçando o Marcão… Simplesmente não dá pra levar a sério.

Na quinta, se pela Copa do Brasil os tricolores Grêmio e Fluminense garantiam um lugar na próxima fase, na Libertadores o Corinthians apenas cozinhava em banho maria o desinteressado Independiente Medellin, cujo técnico Leonel Alvarez poderia facilmente estrelar o filme ‘Salsa’ ao lado do ex-menudo Roby Rosa, enquanto o Inter de Porto Alegre tratava de espinafrar o Deportivo Quito e dar de mão beijada a vaga nas oitavas para o Flamengo.

Agora, semana que vem, o grande confronto da Libertadores sera entre Corinthians e Flamengo. É o Duelo das Massas em todos os sentidos.

Só resta saber se os glutões Ronaldo e Adriano terão mais apetite pela vitória ou por um prato de macarrão.

(Assista os vídeos com os lances que deram origem ao post)

Assim como sua avantajada silhueta, se posta contra o sol, tem fornecido uma área sombreada de metragem cada vez maior e capaz de resguardar uma família inteira de guaxinins das ações nocivas dos raios ultravioleta, não é segredo para ninguém que Ronaldo, o Fenômeno, não é nem sombra do jogador que foi em 2009.

O que acontece com o maior artilheiro da história das Copas?

Uns dizem que é depressão pré-Copa. Explicando melhor, ele estaria triste por ter consciência de que Dunga não irá convocá-lo para o Mundial da África do Sul.

Outros chegam até a considerar que, este ano, durante o período de gestação de sua terceira rebenta, o filho iluminado da família Nazário de Lima entrou em depressão profunda quando, dado seu inchaço abdominal, insinuaram que o grávido era ele, tal qual Arnold Schwarzenegger no clássico ‘Junior’.

Analisando friamente os fatos – sobretudo com o insight da deusa Luciana Robles, que sugeriu esta pauta – fica claro que a razão para o alto desempenho mostrado em 2009 e, também, a evidente queda de rendimento fenomenal em 2009 só pode ser uma: Zina.

Isso mesmo, Zina. O poeta de uma palavra só que tornou-se célebre ao pronunciar a premonitória frase “Ronaldo, brilha muito no Corinthians” e, paralelamente ao seu ídolo, conquistou o estrelato no programa ‘Pânico’ da Rede TV.

Provando que, como diria Padre Quevedo, as coincidências “não equisistem”, no mesmo dia em que a equipe do ‘Pânico’ fez a célebre primeira entrevista com Zina nos arredores do Pacaembu, aconteceu o primeiro jogo de Ronaldo no Paulo Machado de Carvalho. Além de marcar o gol da vitória contra o São Caetano,  esta foi a primeira partida que o menino de Bento Ribeiro começou jogando desde que se contundira no Milan.

A partir de então, enquanto o personagem mais famoso da Xurupita ganhava cada vez mais notoriedade, o futebol de Ronaldo evoluía exponencialmente, criando lances geniais como os que garantiram a vitória contra o Santos em plena Vila Belmiro e sendo decisivo na conquista da Copa do Brasil.

Era o mundo perfeito: por um lado, Ronaldo mostrava que teria lugar de destaque entre os 23 eleitos de Dunga; por outro, Zina não só ganhava a tão sonhada casa própria como também era contratado pela Rede TV para atuar no humorístico comandado por Emílio Surita.

Porém, findada a ressaca pós-títulos de 2009, quando o Corinthians finalmente iniciava uma recuperação na tabela do Brasileirão do ano passado, Ronaldo teve seu metatarso fraturado após levar um chega pra lá de Souza, o volante Fiat-Lux do Palmeiras. Na mesma época, Zina era preso por porte de cocaína.

Passado o impacto dos graves acontecimentos, Zina logo foi libertado; Ronaldo, recuperado da lesão, continuou marcando seus golzinhos. Só que já era tarde para o sonho do Pentacampeonato nacional do alvinegro paulista, embora o otimismo prevalecesse para 2010.

Entretanto, os problemáticos acontecimentos acima citados soariam como uma profecia para o esperado Ano do Centenário do Corinthians.

Logo em janeiro de 2010, Zina foi preso novamente ao ser flagrado atirando pra cima e assustando as maltratadas pombas xurupitescas com os berros do seu “trezoitão”.

Pouco depois, apesar de marcar o primeiro gol do ano na partida contra o Mirassol, Ronaldo saía de campo contundido.

Os meses se passaram.

Zina finalmente foi libertado e Ronaldo retornou aos gramados.

O que parecia uma excelente notícia para a Fiel torcida logo se transformou em mais um motivo de desalento: assim que retornou às gravações, Zina foi afastado pela Rede TV até, pelo menos, o fim do processo por porte ilegal de arma ser concluído.

Quanto ao Fenômeno…

Se quem assiste o ‘Pânico’ sabe que, hoje, nem sequer o nome de Zina é mencionado aos domingos, basta assistir  a qualquer jogo do Corinthians para notar que Ronaldo – apesar de marcar um golzinho aqui, outro ali – mal consegue dominar uma bola.

Como os fatos comprovam, não tem regime, dieta e nem trabalho pesado que faça Ronaldo readquirir a velha forma. Para o Fenômeno voltar a “brilhar muito no Corinthians”, só tem uma solução: o retorno de Zina.

E você? O que acha?

Apesar de ótima fonte de carboidratos, dependendo de como for preparada, a Massa pode ficar pesada demais para o nosso aparelho digestivo, dando aquela sensação de preguiça, deixando nossos movimentos mais lentos, sofridos e, nos casos extremos, causando uma bela indigestão.

Em contrapartida, o Peixe é um alimento rico em proteínas, com bem menos gordura, saudável, nutritivo e leve, extremamente leve, possibilitando que você coma uma boa quantidade e, ainda assim, levante da mesa sempre bem disposto e querendo mais.

Comecemos pela especialidade do Rio de Janeiro: a Massa Rubro-Negra. Além de ter um chef um tanto inseguro no comando da cozinha, muita gente que não deve se acha no direito de dar palpite na receita, mexe na mistura sem nem saber o que está fazendo e adiciona tudo quanto é ingrediente estranho – acrescente aí o famoso álcool imperial.

Em São Paulo, temos a famosa Massa Corintiana. Encabeçada por um cuccinero que aparentemente sabe o que está fazendo, a pasta em questão conta com ingredientes caríssimos e de alto valor nutricional, mas que só agradam mesmo ao paladar nos raros dias dos banquetes clássicos.

Por outro lado, nas refeições do dia-a-dia – inclusive nas semanas de cozinha internacional sul-americana – a massa chega à mesa crua, sem graça e pesada demais, especialmente por conta daquele polpetone milionário que deveria ser a cereja do bolo, mas que de tão grande, está difícil de engolir.

Enquanto isso, na Baixada Santista, tem sido servido um Peixe de primeira. Leve, insinuante e saboroso, agrada a todos os paladares, sejam eles adeptos das massas corintianas e rubro-negras, da bacalhoada vasco-lusitana, do escargot à tricolor e até do leitão à palestrina.

É verdade que apenas um prato do formoso Peixe já basta para satisfazer qualquer glutão. Porém, o público quer sempre repetir. E, mesmo que pareça impossível, a jovem legião de mestres-cuca da Vila Belmiro não pára de aperfeiçoar a especialidade da casa, adicionando sempre novos e ousados temperos que continuam a surpreender e a deixar todos os amantes da boa cozinha de água na boca.

Analisando a rodada de ontem, e sendo absurdamente permissivo com metáforas não muito ortodoxas, não é que a Massa Rubro-Negra levou todos os seus apreciadores a sentirem lancinantes cólicas estomacais e estrondosos terremotos na flora intestinal? Do jeito que anda, vai acabar sendo vomitada do torneio sul-americano.

E o que falar da Massa Corintiana? Embora tenha cumprido seu papel, seus fiéis apreciadores saíram se arrastando do restaurante e sofreram de insônia ao imaginar como serão as próximas refeições. Se continuar desse jeito, vai acabar em indigestão.

Já na Baixada Santista, após outro show de gastronomia, não há mais o que dizer sobre o Peixe da Vila Belmiro. Afinal, quando a comida é boa, bem servida e o atendimento é ótimo, o melhor que podemos fazer é pedir a conta e caprichar na gorjeta.

E, claro, pedir ao maitre que já reserve uma mesa para o próximo jantar.

(Assista os vídeos com os lances que deram origem ao post)

“…e no Início, eram apenas trevas”.

De 1930, início da Grande Era Futebolística das Copas, até o ano de 1974, nuestros hermanos sofreram das piores chagas ao ver não apenas seus vizinhos da Cisplatina serem os primeiros glorificados com a Jules Rimetfeito repetido em 1950 – mas também ao testemunhar aquele continental território que nem sequer fala espanhol conquistar a Copa por três vezes. Tudo para, depois, os comandantes daquele país não muito sério deixarem a taça conquistada em definitivo ser roubada e derretida.

“…e das trevas fez-se a Luz”.

Em 1978, o tão festejado momento de erguer o cálice aos céus foi amaldiçoado pelos Anciãos da Bola, por considerarem a goleada sobre o Peru que eliminou o Brasil um fruto amargo de um pacto com o Demônio.

Porém, apenas oito anos depois, ‘Diós’ simplesmente veio à Terra para, com um glorioso toque de sua ‘mano’ e um carrossel de feitos milagrosos, levar os fiéis futebolísticos da sua terra natal e de todo o planeta à redenção.

“…e foi profetizada a chegada do Messias”.

Da apoteose de ‘El Pibe’ Maradona em 1986 já passaram-se longos vinte e quatro anos, o correspondente a seis Sub-Eras Futebolísticas das Copas.

De lá pra cá, um não acabar de desilusões, culminando com mais dois títulos daquele enorme país que, não bastasse virar penta, ainda tem a ousadia de disputar o campeonato brasileiro de snowboard nas sagradas montanhas de Bariloche.

Contudo, um tremor de terra de proporções inigualáveis, com epicentro na capital da Catalunha, vem sacudindo as placas tectônicas sobre as quais o Mundo do Futebol está estabelecido. Mais do que isso: vem enchendo de esperanças aquele povo achincalhado das margens do Rio da Prata.

Mesmo com ‘Diós’ longe dos divinos tempos da camisa 10 e na decadente forma de técnico, eis que surge ‘La Pulga’, arrastando milhões de fiéis atrás de seus milagres.

Sozinho, Ele é capaz de derrotar um Arsenal inteiro.

Com naturalidade, Ele tem engolido Merengues Galácticos a seu bel prazer.

Atuações, no mínimo, épicas, que tem deixado até mesmo os aclamados todo-poderosos Tupiniquins literalmente com ‘La Pulga’ atrás da orelha.

“…e quiseram saber os mortais: ‘quem és Tu que ilumina apenas os campos de nossos viznhos?’”

Muito prazer, Seu nome é Lionel Messi.

Enquanto o povo brasileiro carece de um Santo e Salvador em quem ter fé, todo el pueblo argentino é declaradamente Messiânico, fiés fervorosos na crença de que, em julho de 2010, Messi e seus vinte e dois discípulos ascenderão ao Olimpo do Esporte Bretão com a Copa do Mundo nas mãos.

Mas será que ‘Diós’ irá permitir?

(Assista os vídeos com os lances que deram origem ao post)

Tá sem dinheiro? Não consegue parar em emprego nenhum? A patroa te botou um par de chifres e seu filho recém-nascido é a cara do leiteiro?

Não se desespere!

Para mudar essa situação de uma vez por todas e, finalmente, começar a se dar bem na vida, só existe uma solução cem por cento eficiente: ir para o Palmeiras!

Se você acha isso absurdo porque o time do Palestra Itália vai de mal a pior, você está…

…PARCIALMENTE CERTO!

Porque, ao que parece, quando se está no Palmeiras, a vida de qualquer profissional se transforma em um inferno.

Para comprovar, vide Luiz Gonzaga Belluzzo. De economista dos mais respeitados do Brasil e do mundo, já cotado inclusive para comandar o Banco Central, bastou desembarcar no Parque Antártica para transformar-se em um dirigente destemperado, colecionar fracassos e ser até ameaçado de morte!

“Peraí”, você deve estar pensando. “Se ir para o Palmeiras dá uma zica danada, como o único jeito para se dar bem na vida é justamente ir para o insuflado palestrinha?” Não responda ainda! Veja os exemplos a seguir e, aí sim, seja surpreendido novamente.

Lembram de um tal de Vagner Love?

Pois é. Em 2009 foi considerado o grande culpado pela derrocada palmeirense no Brasileirão, foi agredido por torcedores, escorraçado da Rua Turiassu e hoje é o grande destaque do Império do Amor, marcando muitos gols pelo Flamengo e sendo mais decisivo até que seu companheiro Adriano!

E o Toninho Cecílio?

Contestado diretor de futebol do alviverde paulistano, foi demitido ainda no decorrer do Campeonato Paulista. Na semana seguinte tornou-se técnico do Grêmio Prudente e, com uma seqüência espantosa de dez jogos de invencibilidade, decolou na tabela e classificou a equipe do extremo oeste do estado para as semifinais do Paulistão, enquanto o seu ex-time não conseguiria vaga nem para o torneio do interior!

E aí, quer se dar bem na vida pra valer?

Esqueça Best-sellers como ‘O Segredo’, ‘Peça e Será Atendido’ ou outros clássicos de auto-ajuda.

Para ter sucesso verdadeiro, vá para o Palmeiras e afunde com o time até ser mandado embora.

Porque daí pra frente, tudo vai ser diferente!!!